• Matheus P. Oliveira

O Silêncio dos Inocentes


Fonte: Imagem Nowmagazin

Baseado no romance de mesmo nome escrito por Thomas Harris e com o roteiro de Ted Tally, o diretor Jonathan Demme agarra a estória e a transforma em uma obra de suspense espetacular. Com essa tríade nasceu "O Silêncio dos Inocentes", marcando não só o ano de 1991, mas toda a década.

No filme, a jovem estagiária da FBI, Clarice Starling (Jodie Foster), procura a ajuda do prisioneiro Hannibal Lecter (Anthony Hopkins) para prender outro serial killer, conhecido apenas como "Buffalo Bill" Esta é a premissa desse claustrofóbico longa, famoso por inserir um dos vilões mais icônicos do cinema.

Os planos e ângulos são essenciais para que os espectadores captem as mensagens e as entrelinhas encontradas nos filmes, e neste não é diferente. O método de close-up inserido pelo diretor Jonathan Demme é proposital - ele é utilizado como uma forma de intimidar o espectador, sentir o que o personagem está sentindo, ou melhor, sentir o que Clarice sente.

É perceptível o emponderamento feminino na jovem Clarice e as adversidades com relação a ela - parte da estória é moldada nisso. Este fato é posto a prova quando somos sujeitos aos close-ups que captam olhares tortos dos homens, inclusive os dos próprios policiais. Apesar de todos os obstáculos, ela prova a todo custo sua competência.

No primeiro ato da estória, Clarice visita o Dr. Lecter na prisão, este que encontra-se na última cela de um corredor visualmente claustrofóbico. Para chegar até Lecter, Clarice se depara com outros presos, que transmitem, além de olhares, comentários intimidadores. Se essa cena descrita tivesse sido filmada de outro modo, talvez não teria alcançado o mesmo valor e qualidade. Nela somos inseridos no corredor, como se estivéssemos dentro de Clarice e sentindo o mesmo pavor que ela. O desfecho disso é a brilhante atuação de Anthony Hopkins como o Dr. Lecter, em que o formal e o grotesco adquirem uma química inigualável, mesclada em seu olhar penetrante.

Fonte: Imagem Westworld

Premiado em 5 categorias no Óscar, Silêncio dos Inocentes é uma obra de arte indiscutível e parece ter saído no fim dos anos 80. Em um ambiente onde o soturno se funde nas mais diversas camadas da estória e os personagens se divergem nas camadas mais profundas de um roteiro de qualidade, é impossível que se saia algo ruim.

NOME ORIGINAL: THE SILENCE OF THE LAMBS

DIREÇÃO: JONATHAN DEMME

ROTEIRO: TED TALLY

ANO: 1991

#Filmes