• Leandro A. de Sousa

Review: Fargo (03x02) - Conhecendo nossos vilões


T03E02: The Principle of Restricted Choice

Direção: Michael Uppendahl

Roteiro: Noah Hawley

Elenco: Ewan McGregor, Carrie Coon, Mary Elizabeth Winstead, Goran Bogdan e David Thewlis

Data de lançamento do episódio: 26 de Abril de 2017

Continuando a confusão do episódio anterior, temos agora um foco um pouco maior em Emmit (Ewan McGregor) que está passando por problemas por ter feito negócios com as pessoas erradas. A tensão é criada ainda no primeiro episódio e mais explorada nesse. Enquanto Emmit vai até seu advogado para tentar reparar esse erro, Ray (Ewan McGregor) fica preocupado com o assassinato que cometera junto a Nikki (Mary Elizabeth Winstead).

Se me perguntassem qual é a melhor coisa em Fargo eu diria que sem dúvida são os diálogos seguido da trilha sonora: os diálogos carregados de um cinismo onde um momento de dor é transformado em algo digno de risada. Por exemplo, a cena na qual Gloria (Carrie Coon) juntamente ao filho estão escolhendo uma urna para poder colocar as cinzas do padrasto dela conseguiu me lembrar um pouco de uma parecida em 'O Grande Lebowski' - olha os Coen aí de novo. E a trilha sonora por ser envolvente e energética, é prazeroso ouvir as músicas escolhidas para a série. Não é uma trilha manipuladora, em nenhum momento, mas é saborosa para os ouvidos.

Gloria é uma personagem que me chamou atenção nesse segundo episódio. Ela teve pouco destaque no primeiro da temporada e já no segundo somos melhor apresentados a ela. O fato dela ser uma mulher forte e independente me lembrou um pouco a Nora de 'The Leftovers', personagem que Carrie Coon também interpreta. Ao mesmo tempo que ela está determinada em descobrir quem é o culpado pelo assassinato de seu padrasto - corrigindo, já que no texto do primeiro episódio eu disse que ele era o pai e nesse ela afirma ser apenas o padrasto

Além disso, um fato que me chamou muito atenção no episódio foi que pela segunda vez uma porta automática não abriu para Gloria. Na primeira vez, o filho precisou ir até lá para abrir e dessa vez seu parceiro precisou ficar na frente do sensor para a porta abrir. Se fosse uma série mais famosa, iriam surgir mil teorias em sites como Buzzfeed dizendo que secretamente M. Night Shyamalan está emulando um 'Sexto Sentido' em Fargo e que Gloria na verdade está morta e por isso não é vista pelos sensores das portas automáticas. Mas isso provavelmente é algo simbólico, pelo simples fato de que ela não se dá bem com tecnologia.

É no mínimo cômico assistir a Ray com todas as suas malandrices tentando esconder ser o responsável (indiretamente) pelo assassinato do padrasto de Gloria e ao mesmo tempo tentando recuperar o selo. Talvez haja algum significado envolta do selo, representando toda a divergência e a briga entre os irmãos Stussy, que no caso o Ray seria o único a ficar sentido por isso, já que Emmit se demonstra claramente aberto a uma reconciliação.

Também somos apresentados aos dois possíveis vilões implacáveis da série, os T-1000 que tivemos nas temporadas anteriores (Malvo na primeira e Hanzee na segunda). São personagens que apareceram pouco no episódio mas que claramente são muito ameaçadores e já provaram isso não só pelos seus olhares ou por seus jeitos. Emmit está cada vez mais fechado dentro de seu próprio erro e ainda se fecha para o próprio irmão.

Importante citar também a excelente caracterização de David Thewlis como o grande vilão dessa temporada e que provavelmente vai ser o responsável pela decadência de Emmit ao longo dela. Ele já havia dado as caras no episódio anterior, mas teve pouco destaque e nesse podemos ver a face do demônio nele. Além do que ele tem realmente as características físicas de um vilão clássico como o sotaque russo, as roupas desajeitada, os dentes podres e a forma como fala, sempre com tom de ameaça por trás de suas frases "amigáveis".

O episódio abriu mais possibilidades para o que estar por vir, gerando ainda mais conflitos principalmente entre os irmãos Stussy. A tensão focada principalmente em Ray pelo medo de ser pego pelo que fez e também por ter quebrado laços com Emmit. Emmit que imediatamente é retirado de sua zona de conforto e jogada contra a parede. Não é difícil deduzir que logo essa "separação" dos irmãos vai acabar pois um vai precisar do outro. Mergulhamos mais a fundo de cada personagem no episódio e Fargo nos entrega novamente um episódio insano, divertido e tenso com tudo o que esperamos da série. É bom ter a sensação de que Noah não vai decepcionar nessa temporada. Fico me perguntando como seria se ele a tivesse lançado em 2016, já que segundo ele mesmo, isso não aconteceu pois ele não tinha o que contar. Bom, prefiro não pensar nisso, o importante é que essa insanidade continue durante pelos próximos 8 episódios.

Leia aqui um Review sobre o primeiro episódio da terceira Temporada de Fargo.

#Fargo #S03E02 #NoahHawley