• Matheus P. Oliveira

Dica do Dia | Amores Expressos (1994)


É inevitável encontrar o drama existencial e o drama amoroso no cinema de Wong Kar-wai, afinal, construir esse tipo de cinema sempre foi sua intenção. Em contraste aos irmãos Shaw (que viviam dos filmes de artes marciais) e inspirado pelo Cinéma du Look, Wong quis criar, no fim dos anos 80, um cinema mais realista, mais existencial, que condissesse com a realidade dos jovens chineses da época. Wong então começou sua carreira com Conflitos Mortais, um romance cheio de nuances, mas foi Dias Selvagens que se tornou não só um marco para o cinema chinês, mas para sua carreira. A consolidação de seu estilo, no entanto, só veio com o exuberante Amores Expressos, que conta duas histórias paralelas, envolvendo uma mulher misteriosa de óculos vermelhos, dois policiais carentes e uma menina que trabalha numa lanchonete. Marcante em inúmeros critérios, a começar pela trilha sonora (Things in Life e California Dreamin'), Amores Expressos é extremamente delicado com os detalhes. Sua estética, que traça um certo distanciamento entre os personagens, vem bem a calhar, pois torna evidente a solidão deles apenas pelo modo de filmagem; e as tomadas à noite só reforçam isso. A fotografia, com cores vivas que enfeitam a monocromia da noite, denotam melancolia e desejo. Em muitas das vezes, inclusive, a impressão que se tem é de que os personagens não pertencem à lugar nenhum, nem à pessoa alguma. E mesmo prejudicado por algumas quedas de ritmo, Amores Expressos ainda é um ótimo filme. A propósito, notarão os apreciadores de Encontros e Desencontros, elementos do cinema de Wong Kar-wai, que Sofia Coppola usou como inspiração.

Amores Expressos (Chung Hing Sam Lam - China, 1994). Direção: Wong Kar-wai. Roteiro: Wong Kar-wai. Elenco: Brigitte Lin, Tony Leung Chiu-Wai, Faye Wong, Takeshi Kaneshiro, Valerie Chow, Piggy Chan, Kwan Lee-Na, Wong Chi-Ming, Leung San, Rico Chu Tak-On, Lynne Langdon, Vickie Eng. Duração: 98 min.

#ChungkingExpress #WongKarwai