• Matheus P. Oliveira

Dica do Dia | A Garota da Fábrica de Fósforos (1990)


A Garota da Fábrica de Fósforos é um filme austero e frio, balanceado porém por um terceiro elemento localizado entre ambos, cuja função é equilibrá-los; seria ele, basicamente, uma espécie de meio-termo, que retira o longa do alcance de um certo obscurantismo, fênomeno iminente à obra e ao próprio cinema escandinavo. Sua história gira em torno da lânguida e monótona rotina de Iiris (Outinen), que trabalha como supervisora de embalagens de fósforo numa fábrica e que vive com seus pais, que a exploram. No entanto, a monotonia da vida de Iiris muda quando um homem bem vestido, Aarne (Vierikko), a convida para dançar e ir ao seu apartamento. Todavia, e como é habitual na filmografia europeia, as coisas mudam a partir disso, mas num outro sentido: no sentido negativo. Aarne, bem mais velho do que Iiris, tem outra vida, e esquece Iiris no dia seguinte; já ela, não. Nesse momento, acompanha-se o seu sofrimento de perto, e refletimos sobre a triste vida de Iiris, que vive quase como uma máquina.

Nota-se que o diretor de A Garota da Fábrica de Fósforos, Aki Kaurismäki, já ciente do tom de seu filme e do corpo deste como um todo, não cai num realismo (ou pessimismo) extremado, nem numa história triste com final feliz recompensador; Kaurismäki retrata, na verdade, a vida em sua famigerada ambivalência, sem tirar nem pôr, com momentos que transitam entre a rotineira tristeza e a fugaz alegria. Em suma, A Garota da Fábrica de Fósforos é uma obra-prima escondida, quase soterrada, do cinema escandinavo, e uma profunda crítica social (afinal, ele faz parte de um trilogia chamada "Proletariado"). Pena que é pouco conhecido.

A Garota da Fábrica de Fósforos (Tulitikkutehtaan Tyttö - Suécia, Finlândia, 1990). Direção: Aki Kaurismäki. Roteiro: Aki Kaurismäki. Elenco: Kati Outinen, Elina Salo, Esko Nikkari, Vesa Vierikko, Reijo Taipale, Silu Seppälä, Outi Mäenpää, Marja Packalén, Richard Reitinger, Helga Viljanen, Kurt Siilas, Ismo Keinänen, Klaus Heydemann, Erkki Friman, Tapani Ikonen, Jari Lappalainen e Lasse Luoto. Duração: 72 min.