• Matheus P. Oliveira

Dica do Dia | A Força do Carinho (1983)


A Força do Carinho é um desses filmes onde nada acontece se o espectador não tiver sensibilidade suficiente para perceber as mudanças nos personagens e na atmosfera que os cerca, devido aos sutis elementos que o roteiro possui. Dirigido por Bruce Beresford e escrito pelo veterano Horton Foote, A Força do Carinho precisa ser apreciado pelo que esconde nas entrelinhas, por suas nuances sinceras e nada superficiais, estas que revelam a verdade por trás de personagens que demonstram pouco e que sentem muito. Trata-se, basicamente, de mais uma obra grandiosa que explora a condição humana com a mais pura e poderosa sutileza.

A história de A Força do Carinho gira em torno de Mac Sledge (Duvall), um músico fracassado que caiu na bebida, mas que, graças a um trabalho conseguido por sua vizinha viúva, Rosa Lee (Harper), larga aos poucos o vício, pois nele não é permitido beber. Abandonando uma velha vida, ele embarca numa que é nova, quando se apaixona e se casa com Rosa, a mulher que lhe empregou, esta que tem um filho. As mudanças em sua personalidade e em seu jeito de ser mudam sutilmente e, ao passo em que seu relacionamento ganha feições familiares, o seu talento como músico retorna pouco a pouco, com o brilho dos velhos tempos. Sem dúvida que A Força do Carinho é um lindo filme; é, em poucas palavras, uma verdadeira obra-prima.

A Força do Carinho (Tender Mercies - EUA, 1983). Direção: Bruce Beresford. Roteiro: Horton Foote. Elenco: Robert Duvall, Tess Harper, Betty Buckley, Wilford Brimley, Ellen Barkin, Allan Hubbard, Lenny Von Dohlen, Paul Gleason, Michael Crabtree, Norman Bennett, Andrew Scott Hollon e Helena Humann . Duração: 92 min.